Publicidade
Quarta-Feira, 22 de Novembro de 2017
Descrição do tempo
  • 23º C
  • 20º C

Proprietário da Havan deve investir R$ 600 milhões em Santa Catarina nos próximos 2 anos

Otimista, Luciano Hang deve inaugurar no Estado outras 20 megalojas, abrindo 4.000 postos de trabalho

Paulo Mueller, especial para o Notícias do Dia
Florianópolis
21/10/2017 às 10H58

A maior loja de departamentos do Brasil, a Havan driblou a crise e retomou o plano de expansão em todo o Brasil. Até 2022 a empresa deve chegar a 200 megalojas em 15 Estados e com 25 mil colaboradores diretos. “Nós vamos fazer nos próximos cinco anos o que demoramos 31 anos para fazer, porque nós já temos a receita do bolo. Nós já sabemos o que dá certo, o que dá errado e o que nós vamos fazer para conseguir conquistar esse objetivo. Os objetivos são alcançáveis”, afirma o empresário Luciano Hang. 

Durante a crise dos últimos dois anos que afetou os negócios, o empreendedor nato decidiu aproveitar o momento para reorganizar os processos internos e deixar a empresa ainda mais sólida. Em Santa Catarina essa readequação foi mais fácil. “E nós notamos que Santa Catarina tem uma cultura de trabalho, de organização, nós vimos nessa crise agora que passou que é um Estado com mais empregabilidade, um Estado que tem baixa inadimplência dos nossos clientes. É um Estado que respira trabalho”, conclui Hang.

Nos próximos dois anos a Havan deve inaugurar em Santa Catarina outras 20 megalojas. O investimento gira em torno de R$ 600 milhões e deve abrir 4.000 novos postos de trabalho. “Nós acreditamos que Santa Catarina está no caminho certo, na geração de emprego, com renda, riqueza, porque é um povo trabalhador. Essa cultura de Santa Catarina deveria ser levada para outros Estados. É um exemplo para o Brasil”.

Entrevista:

“O Brasil tem jeito sim, e eu acredito nisso”

RODA DA FORTUNA
“Nós passamos uns anos atrás na Roda da Miséria. Sabe aquela roda que você vê em uma festa de quermesse, em uma igreja que tem a roda da fortuna. Ela voltou a girar no sentido horário. O Brasil estava indo para trás fruto às vezes de governos equivocados, de decisões econômicas equivocadas. O Brasil é um país capitalista que tem que acreditar nos seus empreendedores, nas pessoas que geram empregos, acreditar nas empresas. O Brasil tem jeito sim, e eu acredito nisso”, diz Hang fazendo uma metáfora do atual momento econômico no país.

BUROCRACIA
“O Brasil vive de burocracia. E a burocracia emperra a máquina pública e impossibilita o poder privado, as empresas, de poderem construir, de poderem fazer novas empresas, de poder gerar riqueza, gerar mais empregos. Eu acho que nós temos que desburocratizar esse país, reduzir a máquina pública, vender todas as empresas públicas, e assim o Brasil fica mais leve e deixa a iniciativa privada poder trabalhar e gerar riqueza e emprego nesse país”, enfatiza Hang, sobre uma das principais reclamações de quem quer empreender. “É quase como uma trava para o desenvolvimento e o crescimento econômico de um país.”

DOAÇÃO
“Porque eu acredito em Santa Catarina. Nós temos que investir naquele Estado que é um exemplo para o país. Nós temos muitos problemas para serem resolvidos, mas é o melhor Estado do Brasil. Então quando a gente faz uma doação, num momento de crise, é realmente do meu coração para ajudar os catarinenses e para ajudar o nosso Estado a continuar fazendo as coisas certas”, diz sobre a doação recente de R$ 900 mil para o governo do Estado. O dinheiro teria como destino a saúde, que passa por uma crise. Os recursos foram doados para a compra de medicamentos e combustível para as ambulâncias.

Perfil

Luciano Hang nasceu em Brusque (SC), onde fundou a Havan em 1986 com apenas 24 anos de idade. É formado como tecnólogo em processamento de dados pela Universidade Regional de Blumenau. Recebeu diversos prêmios e reconhecimentos pelo empreendedorismo e espírito visionário. 

Havan em números

102 megalojas
Mais de 1 milhão e 100 mil metros quadrados construídos
12 mil empregos diretos
60 mil empregos indiretos

PLANO DE EXPANSÃO
200 megalojas até 2022
25 mil empregos diretos
100 mil empregos indiretos

INVESTIMENTOS EM SANTA CATARINA
Até 2019: 600 milhões de reais
20 novas megalojas
4.000 novos postos de trabalho


FONTE: Havan

Publicidade

6 Comentários

Publicidade
Publicidade