Publicidade
Sexta-Feira, 21 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 17º C

Olheiro do tráfico de drogas é baleado na rua e cai na cancela da Alesc, em Florianópolis

Romarinho, com mais de 30 passagens policiais, discutiu com dois rivais do tráfico e, ao ser baleado, correu para a Alesc

Colombo de Souza
Florianópolis
13/04/2018 às 16H37

O olheiro do tráfico de drogas no Morro do Mocotó, em Florianópolis, Samoel Rodrigo Nascimento Júnior, 22, o Romarinho, brigou com dois rivais no início da tarde desta sexta-feira (13) e, no calor da discussão, foi atingido por dois tiros. A tentativa de homicídio ocorreu em um espaço de grama equipado com aparelhos de ginástica para a terceira idade ao lado da creche Celso Ramos, nos fundos da Assembleia Legislativa de Santa Catarina.

O primeiro tiro acertou o ombro. Romarinho, então, correu em direção à rua Aldo Câmara da Silva para pedir socorro na Alesc e caiu na cancela lateral, acesso de veículos em serviço, sem mais forças para fugir. Segundo a polícia, três disparos acertaram a parede da creche.

Samoel Rodrigo Nascimento Júnior fugiu para a Alesc após discussão - Marco Santiago/ND
Samoel Rodrigo Nascimento Júnior fugiu para a Alesc após discussão - Marco Santiago/ND


Policiais militares que trabalham na guarda externa acionaram a Central de Emergência 190 e o Samu (Serviço de Atendimento Médico de Urgência) para tentar localizar os autores da tentativa de homicídio e socorrer a vítima. Romarinho recebeu os primeiros atendimentos no local pelo médico do Samu e depois foi transferido para o Hospital Celso Ramos, onde continua em estado grave de saúde.

O chefe da Casa Militar da Assembleia Legislativa, coronel Luciano Pinheiro, 47, estava em seu gabinete quando ouviu os disparos. Ele correu até o local de onde vinham os estampidos e reforçou o pedido para o Samu, além de acionar o 4º BPM (Batalhão da Polícia Militar). O oficial contou que a vítima, usuária de drogas, vivia pelas imediações.

O comandante do 4º BPM, tenente-coronel Marcelo Pontes, confirmou que Romarinho é fichado na polícia. A vítima possui 36 passagens policiais.

Um flanelinha, que mora no Morro do Mocotó, disse que já vinha alertando Romarinho sobre o iminente perigo de vida. “Eu já estava avisando eles que queriam matá-lo. Eles querem pegar Romarinho porque ele é cria do Denílson”. O Denílson, a que o guardador de carros se refere, é o traficante do Morro do Mocotó que está terminado de cumprir condenação por tráfico e homicídio na Penitenciária da Capital. Para os amigos do traficante, ele deve ser solto em breve.

O delegado da Homicídios, Ênio de Oliveira Mattos, passou no local porque foi avisado que a ocorrência teria terminado em óbito. Peritos do IML (Instituto Médico Legal) também foram acionados e junto com o delegado realizaram as primeiras investigações, incluindo o recolhimento de projéteis calibre .40.

Como não ocorreu morte, o delegado disse que a tentativa de homicídio vai ser investigada pela 1ª DP.

Publicidade

5 Comentários

Publicidade
Publicidade