Publicidade
Sexta-Feira, 14 de Dezembro de 2018
Descrição do tempo
  • 31º C
  • 22º C

"É um choque", diz candidato que viajou em aeronave antes da queda em Chapecó

Bimotor estava há 20 milhas do aeroporto de Chapecó e dentro da rota quando caiu

Schirlei Alves
Florianópolis
16/09/2018 às 21H05

A aeronave que caiu na manhã de sábado (15) em Serra Alta, no município de Ipumirim, antes de chegar ao destino final - o Aeroporto Serafin Enoss Bertaso, em Chapecó, foi fretada de uma empresa de táxi aereo pelo partido do PSD com o objetivo de trazer o candidato a deputado estadual, Júlio Garcia, até Florianópolis. Logo após cumprir a missão, o piloto retornou sozinho ao Oeste do Estado. 

Julio Garcia, candidato a deputado estadual, em campanha pelo Estado - Reprodução/Facebook
Julio Garcia, candidato a deputado estadual, em campanha pelo Estado - Reprodução/Facebook

 

Garcia e um amigo que o acompanhava na viagem saíram de Chapecó às 7h20 e chegaram ao Aeroporto Hercílio Luz às 8h30. Quando soube da tragédia, o candidato disse que ficou abalado e lamentou pela perda da família do piloto. 

"É um choque ter embarcado no avião e uma hora depois acontecer o que aconteceu. Lamento pela família que teve uma perda tão trágica. O nosso voo foi normal, não teve nenhuma alteração. Era um voo da minha campanha, o único que fiz até agora. Antes de descer ainda me despedi dele. Até onde eu sabia ele retornaria para Chapecó", contou o candidato. 

Em princípio, a aeronave estaria em situação regular para aeronavegação. Até a noite de domingo (16), as autoridades responsáveis pela investigação do caso não haviam divulgado qual teria sido o motivo da queda. Segundo o delegado Albert Silveira, do Serviço AeroPolicial de Fronteira, a Polícia Civil prestou apoio nas buscas e disponibilizou peritos. No entanto, a investigação é de responsabilidade da Força Aérea Brasileira. 

"A previsão de chegada dele era no final da manhã, ele estava há 20 milhas do aeroporto e dentro da rota (previta pelo plano de voo)", afirmou Silveira. 

Destroços da aeronave se espalharam pela mata fechada, na localidade de Serra Alta, em Ipumirim - Roberto Bortolanza/RIC TV/Divulgação
Destroços da aeronave se espalharam pela mata fechada, na localidade de Serra Alta, em Ipumirim - Roberto Bortolanza/RIC TV/Divulgação

Equipes do Corpo de Bombeiros e Policia Militar também participaram da operação. O avião teria pegado fogo ao tocar o solo e peças da fuselagem ficaram espalhadas pela área, que é de difícil acesso e fica perto da divisa com o município de Arabutã. Moradores da região presenciaram a queda e acionaram o resgate. Ninguém da comunidade ficou ferido.

O piloto identificado como Ailton dos Santos Filho era o único tripulante na aeronave. Segundo a polícia, trata-se de um bimotor com prefixo PR-RFB, modelo C90A, fabricado em 1999. A polícia não confirmou que a aeronave bateu na cobertura de uma casa como foi divulgado por veículos locais. 

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade