Publicidade
Domingo, 16 de Dezembro de 2018
Descrição do tempo
  • 31º C
  • 23º C

Quem deu certo? LANCE! analisa reforços do Fluminense após a Copa

Everaldo, Luciano, Kayke, DIgão, Cabezas, Junior Dutra, Daniel e Paulo Ricardo foram anunciados durante ou após o Mundial

LANCE!
Rio de Janeiro (RJ)

Everaldo e Luciano foram os principais nomes do Flu conta o Cuenca (Foto: AFP)
Everaldo e Luciano foram os principais nomes do Flu conta o Cuenca (Foto: AFP)


Uma vitória com a cara dos reforços. Assim foi o triunfo do Fluminense contra o Deportivo Cuenca (EQU), pelo jogo de ida das oitavas de final da Sul-Americana. Apresentados no meio do ano, Everaldo e Luciano foram os grandes destaques do confronto, que ainda teve Digão como titular (apesar de ter feito um jogo ruim). Além deles, Júnior Dutra, Kayke, Paulo Ricardo, Bryan Cabezas e Daniel também chegaram durante ou depois da Copa do Mundo. LANCE! analisa o rendimento das caras novas até o momento.

Uma das maiores surpresas entre os nomes contratados foi o atacante Everaldo. Ele, que veio da Série B, se firmou entre os titulares e agora ajuda a suprir a ausência de Pedro na equipe. Além de duas assistências, ele, enfim, marcou seu primeiro gol para abrir a contagem contra o Cuenca, na altitude de Quito. Além de Everaldo, Digão também garantiu seu lugar nos selecionados de Marcelo Oliveira. O zagueiro veterano vem fazendo uma boa dupla com Gum, apesar de algumas falhas defensivas pontuais da equipe.

Um que vem aparecendo no time titular, mas ainda não convenceu é Kayke. Contratado para suprir uma possível saída de Pedro, ele recebeu a bomba de substituir o camisa 9 após sua lesão, mas não mostrou suas qualidades. Por outro lado, Luciano, autor de dois gols e uma assistência em dois jogos como centroavante, entrou forte na briga pela posição.

O zagueiro Paulo Ricardo e o atacante Bryan Cabezas ainda não conseguiram estrear com a camisa tricolor. Já o jovem Daniel ganhou alguns minutos no duelo contra o Cruzeiro, mas ainda não tem o prestígio do treinador para aparecer mais até entre os relacionados.

Marcelo Oliveira também foi uma novidade do período, após Abel Braga pedir para sair. Até o momento, o comandante soma sete vitórias, quatro derrotas e cinco empates. Utilizando dados do "Footstats", confira a análise de cada um dos jogadores que foram contratados pelo Fluminense no período do Mundial.

DIGÃO - SE FIRMOU
Com dois gols nesta segunda passagem pelo Fluminense, Digão soma, em 12 partidas, 15 desarmes, sendo 13 certos e apenas dois errados. Quando o assunto são as interceptações, ele é o quinto melhor do time no quesito: cinco tentativas e três corretas. Nas finalizações, foram três, duas certas. O problema é sua falta de regularidade, algo recorrente no Tricolor.

LUCIANO - QUER MAIS SEQUÊNCIA
Com uma assistência e dois gols em seus dois primeiros jogos como camisa 9, Luciano quer deixar as lesões para trás e ganhar sequência. No Campeonato Brasileiro, fez seis jogos e deu 18 cruzamentos (aproveitamento de 16,7%), além de ter 11 finalizações, mas apenas três no alvo. Vinha jogando como meia, mas não rendeu o esperado por Marcelo Oliveira.

EVERALDO - SURPREENDEU
Everaldo foi a melhor contratação do Tricolor na parada da Copa do Mundo. Vindo do São Bento, ele tem duas assistências e um gol. No Brasileirão, tem 11 partidas e 20 cruzamentos, com aproveitamento de 15%. Além disso, o atacante tem 14 desarmes, sendo apenas dois errados, e cometeu 14 faltas, sofrendo seis. Nas finalizações, soma sete nesse período, duas certas e cinco erradas.

JÚNIOR DUTRA - FALTA REGULARIDADE
Apesar de ter ganhado a titularidade no início de sua passagem pelo Flu, acabou não rendendo bem. Com uma assistência até o momento, Júnior Dutra luta para se firmar na equipe. Em 12 jogos no Brasileirão, ele cruzou 17 vezes (aproveitamento de 17,6%) e fez 10 desarmes, sendo nove corretos. No hora de colocar a bola no gol, o jogador ainda está zerado. Foram cinco tentativas, todas fora do alvo.

KAYKE - NÃO CONVENCEU
Contratado para substituir Pedro, Kayke ainda não chegou perto do camisa 9 titular do Flu. Sem gols marcados, ele teve participações ruins nas partidas. Em oito jogos, tem oito cruzamentos com aproveitamento de 12,5%. Nas finalizações, são 10, com sete no alvo e três erradas.

DANIEL - AGUARDANDO UMA CHANCE
Titular no Oeste, Daniel voltou ao Fluminense para suprir a ausência de um reserva para Sornoza. Porém, não conquistou o técnico Marcelo Oliveira, que afirmou ainda não ter "convicção" para utilizá-lo. Com isso, o comandante do Flu acabou improvisando Luciano, que se mostrou melhor como camisa 9. Ele atuou por apenas 12 minutos, contra o Cruzeiro, e espera nova oportunidade.

OS QUE NÃO FORAM UTILIZADOS
Ainda não dá para saber o que esperar de Paulo Ricardo e Bryan Cabezas. O primeiro chegou mesmo para ser reserva e viu Ibañez ir muito bem nas partidas em que Marcelo Oliveira precisou usar três zagueiros ou substituir algum desfalque. Já Cabezas está na mesma situação de Daniel. Sem ser relacionado para algumas partidas, o jogador ainda não conseguiu mostrar a que veio pela falta de "convicção" de Marcelo Oliveira.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade

Escolha seu time

  • Chapecoense
  • Criciúma
  • Figueirense
  • JEC
  • Avaí
Publicidade