Publicidade
Terça-Feira, 19 de Junho de 2018
Descrição do tempo
  • 22º C
  • 15º C
  • #TORCIDANDCopa #dia5: CBF manda carta à Fifa, Inglaterra vence e belgas empolgamMAIS COPA

Relação entre heróis e animais na arte é tema da edição 2018 do Bloomsday, na Capital

Dedicado ao escritor irlandês James Joyce (1882-1942), o evento será realizado Fundação Cultural Badesc, neste sábado

Redação ND
Florianópolis
12/06/2018 às 21H45

O Bloomsday, dia dedicado ao escritor irlandês James Joyce (1882-1942), concentra a programação deste ano em Florianópolis na Fundação Cultural Badesc, no sábado (16), a partir das 15h. O tema desta edição é a relação dos heróis com os animais, discutindo a atuação destes em diferentes obras de artes – na literatura, pintura, cinema, música – e sua condição de personagens livres e criativos. O Bloomsday, ou dia do Bloom, é comemorado anualmente em todo o mundo em homenagem ao personagem Leopold Bloom, protagonista do romance ‘Ulisses”, de Joyce. A organização do evento é de Clélia Mello, Dirce Waltrick do Amarante e Sérgio Medeiros, e a entrada é gratuita.

Irlandês James Joyce foi um dos maiores escritores do século 20 - Divulgação/ND
Irlandês James Joyce foi um dos maiores escritores do século 20 - Divulgação/ND


Um dos destaques é a presença do artista plástico Iam Campigotto, que abre a agenda do dia com a performance “Coisa entre linguagem e músculo”, mesclando leitura, áudios, movimentos coreografados e ações que propõem a interação com o público. Haverá ainda leitura de textos de autores como Franz Kafka e Samuel Beckett, coreografias de dança, exibição do filme “Bloom”, de Sean Walsh, e a apresentação do poema “Enrique Flor, o novo”, que integra o livro “Trio pagão” (Iluminuras, 2018), que Sérgio Medeiros lança às 16h30 no local. No mesmo horário, a professora Dirce do Amarante lança a tradução que fez de “Finnegans Wake (Por um Fio)”.

Na produção radiofônica “O despertar da gata”, Larissa Lagos e outras sete pessoas trazem trechos selecionados de Joyce e Beckett, ressaltando obras desses escritores modernos que problematizaram a linguagem literária no século 20. De Joyce, foram escolhidos trechos de “Ulisses”, “Finnegans Wake” e algumas de suas epifanias. De Beckett, a peça “Não Eu” e fragmentos de outros textos. As gravações performáticas serão tocadas continuamente durante a festividade.

De Homero à vanguarda do século 20

No poema de Homero, um dos mais antigos e célebres da literatura ocidental, o herói Ulisses, ao retornar para casa após 20 anos de ausência, reencontra seu cão Argos já velho e moribundo. O cão o reconhece imediatamente, embora ele esteja vestido de mendigo, para não ser identificado pelos inimigos que almejam derrotá-lo a fim de ocupar seu lugar no leito da mulher Penélope. Penalizado, Ulisses verte lágrimas de tristeza diante do cão que apenas é capaz de mexer as orelhas e agitar o rabo, antes de extinguir-se.

No romance moderno de Joyce, intitulado “Ulisses” (1922), o herói Bloom em nada se parece com o protagonista da “Odisseia”, preparando o desjejum sob os olhares de uma jovem gata faminta, diante da qual ele se inclina carinhosamente, revelando que é um homem “baixo” (comum), em muitos sentidos, e não um personagem “alto” (elevado), como o fabuloso Ulisses homérico.

Entre o cão que morre no final da jornada e o gato que desperta no início dela, o Bloomsday de Florianópolis falará de vários outros animais que atuam em diferentes obras de artes, compondo, por meio citações, imagens e sons, uma espécie de zoológico imaginário em que os animais se libertam das jaulas e passam a atuar como personagens livres e criativos. As obras escolhidas pelos organizadores são comprometidas com a estética vanguardista, da qual a obra de James Joyce é um dos pilares.

Programação

  • 15h: A morte de Argos – Leituras de textos de Kafka, Gertrude Stein, Borges e Beckett
  • 15h: Transformando “Finnegans Wake” em coreografias de dança – Oficina com Giovana Beatriz Manrique Ursini
  • 15h: Coisa entre a linguagem e o músculo – Performance de Iam Campigotto
  • 15h: O despertar da gata – Produção radiofônica de Larissa Lagos de trechos de “Ulisses”, “Finnegans Wake” e Beckett
  • 15h30min: Cama de gato – Instalação de Clelia Mello
  • 16h30: Exibição do filme “Bloom”, de Sean Walsh
  • 16h30: Apresentação do poema “Enrique Flor, o novo”, sobre o Bloomsday em Dublin
  • 16h30: Estudo coreográfico para o início de “Finnegans Wake” – Coreografia de Giovana Beatriz Manrique Ursini

Serviço

O quê: Bloomsday de Florianópolis 2018
Quando: 16 de junho, sábado, das 15h às 18h
Onde: Fundação Cultural Badesc (rua Visconde de Ouro Preto, , 216, Centro, Florianópolis, fone 3224-8846)
Quanto: entrada gratuita

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade