Publicidade
Segunda-Feira, 21 de Janeiro de 2019
Descrição do tempo
  • 30º C
  • 23º C

Morre a quinta vítima baleada por atirador na Catedral de Campinas

Heleno Severo Alves, de 84 anos, estava internado no Hospital Municipal Dr. Mário Gatti, onde passou por cirurgia

Estadão Conteúdo
São Paulo (SP)
12/12/2018 às 16H02

A Prefeitura de Campinas(SP) confirmou na tarde desta quarta-feira, 12, a morte de Heleno Severo Alves, de 84 anos, baleado nesta terça-feira, 11, durante ataque na catedral na região central da cidade.

Ele estava internado no Hospital Municipal Dr. Mário Gatti, onde passou por cirurgia. Outras fiéis morreram durante o ataque: José Eudes Gonzaga Ferreira, de 68 anos, Elpidio Alves Coutinho, Sidnei Vitor Monteiro, de 67, e Cristofer Gonçalves dos Santos.

No início da tarde desta quarta, a Catedral de Campinas foi reaberta com uma missa para homenagear as vítimas.

Homem abriu fogo dentro de igreja em Campinas - DENNY CESARE/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO
Homem abriu fogo dentro de igreja em Campinas - DENNY CESARE/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO


O autor dos disparos que mataram quatro pessoas e feriram outras quatro no interior da Catedral Metropolitana da cidade foi identificado pela Polícia Civil. Trata-se do analista de sistemas Euler Fernando Grandolpho, de 49 anos. Segundo o Ministério Público Estadual (MPE), ele já ocupou um cargo de auxiliar de promotoria, mas exonerou-se da função em 2014.

Grandolpho abriu fogo contra pessoas que rezavam na catedral logo após uma missa. Em seguida, foi baleado por policiais, caiu e atirou contra a própria cabeça.

Casal foi à igreja agradecer dinheiro da aposentadoria

O aposentado José Eudes Gonzaga Ferreira, de 68 anos, e sua mulher Maria de Fátima Frazão Ferreira, de 65, estavam indo o banco sacar o dinheiro da aposentadoria e entraram na Catedral de Campinas para agradecer por estarem recebendo o benefício.

"Todo mês eles faziam isso, sacavam o dinheiro e passavam na igreja para agradecer. Dessa vez, eles fizeram diferente, foram à igreja primeiro", relata do genro Donizeti Soares, de 61 anos. Os dois foram vítimas do atirador Euler Fernando Grandolpho, de 49 anos. Maria de Fátima levou um tiro na coxa e sobreviveu. Baleado também, José Eudes não resistiu.

O corpo do aposentado estava sendo velado, na manhã desta quarta-feira, 12, no velório do Cemitério Parque Nossa Senhora da Conceição, em Campinas. Donizeti conta que o casal era muito unido. "Eram companheiros, estavam casados havia 37 anos e um vivia para o outro. Não sei o que vai ser de minha sogra."

Maria de Fátima foi ao velório em cadeira de rodas. Abatida, chorou copiosamente, assim como a filha Flávia. A idosa continua com a bala alojada na coxa. "Ela teve alta para vir ao velório, mas amanhã (quinta-feira, 13), deve voltar ao hospital. Os médicos vão decidir quando vão operar."

O genro conta José Eudes tinha o apelido de "Santinho" e gostava de política. "Ele foi candidato a vereador na eleição passada e, apesar de ser muito conhecido no bairro, não se elegeu." A vítima morava com a esposa no bairro Rocim, região do Campo Grande. Segundo o genro, Maria de Fátima "apagou" as lembranças do ataque.

"Ela lembra de pouca coisa. Ouviu os tiros e se agachou. Deve ter sido atingida nessa hora, pois desmaiou. Ela não viu o cara, nem ouviu o que ele disse."

Além de Flávia, o casal tem outro filho que ainda não havia chegado para o velório. Eles perderam um filho adolescente, de 12 anos, há quase 20 anos. "Agora, o esposo se foi. Vai ser difícil para ela." O sepultamento estava previsto para as 15 horas.

O corpo de Cristofer Gonçalves dos Santos também estava sendo velado no Cemitério Parque Nossa Senhora da Conceição, mas os familiares não quiseram dar entrevistas. O clima era de choro e desolação. O sepultamento estava marcado para as 13 horas.

Publicidade

1 Comentário

Publicidade
Publicidade