Publicidade
Sexta-Feira, 21 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 17º C

Homem de 33 anos morre após cair de parapente no costão da praia do Santinho, na Capital

O corpo da vítima, que sofreu parada cardiorrespiratória e afogamento, ficou se chocando contra as pedras por cerca de cinco minutos até que fosse resgatada

Redação ND
Florianópolis
16/03/2018 às 19H48

Um voo de parapente na praia do Santinho, no Norte da Ilha, não terminou bem no fim da tarde desta sexta-feira (16). Um homem de 33 anos morreu após cair no costão norte da praia, enquanto sobrevoava o local, por volta das 17h30. Ele sofreu uma parada cardiorrespiratória e afogamento e teve a morte confirmada aproximadamente às 18h30.

Atendimento realizado pela equipe do Arcanjo contou com a ajuda de três guarda-vidas - Arcanjo/Divulgação/ND
Atendimento realizado pela equipe do Arcanjo contou com a ajuda de três guarda-vidas - Arcanjo/Divulgação/ND


O Corpo de Bombeiros foi acionado para atender a vítima e mobilizou o helicóptero Arcanjo 01 para a ocorrência. Segundo o capitão Anderson Ciotta, o homem foi retirado da água por três guarda-vidas, que foram notificados por civis. Segundo ele, a vítima era natural do Oeste de Santa Catarina e já tinha experiência com parapente. Pouco antes do voo derradeiro, ela havia realizado um voo duplo na mesma praia.

De acordo com o capitão Ciotta, a queda teria ocorrido quando o homem fez um giro de 180 graus. Após virar no sentido sul, o parapente caiu. “A vítima ficou batendo no costão e os guarda-vidas só conseguiram tirá-la da água depois de cinco minutos. Ela teve escoriações na face e nos membros superiores e inferiores”, informou o capitão do Arcanjo. Ele disse ainda que os próprios guarda-vidas tiveram dificuldade para socorrê-lo devido ao local da queda e da força dá água.

Vítima caiu no costão norte da praia do Santinho - Arcanjo/Divulgação/ND
Vítima caiu no costão norte da praia do Santinho - Arcanjo/Divulgação/ND


Durante o atendimento médico, a esposa do homem chegou ao local. Foi constatado, então, que o homem havia entrado em parada cardiorrespiratória. A suspeita é que o afogamento tenha sido a causa da morte.

O vento sudeste registrado em Florianópolis nesta sexta, conforme a meteorologista Laura Rodrigues, da Epagri/Ciram, não teve condições especiais. Chamado de vento médio, ele ficou em torno dos 10 km/h pela tarde. As rajadas máximas, registradas por volta das 14h, ficaram entre 25 km/h e 30 km/h.

Publicidade

1 Comentário

Publicidade
Publicidade