Publicidade
Domingo, 24 de Junho de 2018
Descrição do tempo
  • 22º C
  • 15º C
  • #TORCIDANDTécnico sérvio vê 'gol bobo' e projeta jogo com o Brasil: 'Nada é impossível'Mais copa

Guerra entre facções provoca mais uma morte no bairro Monte Cristo, em Florianópolis

Com o homicídio de David Silva, sobe para 39 o número de mortes violentas este ano em Florianópolis

Colombo de Souza
Florianópolis
12/03/2018 às 22H48

David da Silva, 29, foi fuzi­lado domingo à noite num beco da comunidade Novo Horizonte, reduto da facção paulista PCC (Primeiro Comando da Capi­tal), no bairro Monte Cristo, em Florianópolis. De acordo com a Polícia Militar, o local onde Sil­va foi encontrado é conhecido como “Beco da Desova”. A vítima foi atingida com vários tiros de calibre 9mm. Todos acertaram a cabeça.

A Novo Horizonte, localizada no bairro Monte Cristo, no Con­tinente, fica ao lado da comuni­dade Chico Mendes. Na Chico, o comércio de drogas é controlado por integrantes da facção ca­tarinense PGC (Primeiro Grupo Catarinense). Apenas uma rua divide as duas comunidades. O tráfico de drogas ali é disputa­do há anos por integrantes das duas facções. Segundo a polícia, a guerra pelo domínio de cocaí­na e crack já levou muitos jovens.

O comandante do 22º BPM (Batalhão da Polícia Militar) o tenente-coronel Sandro Cardoso da Costa, disse que por volta das 21h30, a corporação foi aciona­da por populares que relataram que havia um homem caído na rua. Os denunciantes, segundo ele, não informaram ter ouvido barulho de disparos.

Quando policiais militares chegaram ao local, constataram que a vítima já estava morta ao lado de uma poça de sangue. Ela usava bermuda preta, trazia uma mochila surrada nas costas e não portava documentos.

O delegado dos Homicídios, Ênio de Oliveira Matos, também passou no local para recolher de­poimentos de testemunhas. Ele contou que Silva foi surpreendi­do por um “bonde do PGC” que saiu da Chico Mendes. A inves­tigação somente está iniciando, mas de acordo com o delegado a motivação do crime já aponta para guerra entre facções. Com este homicídio, sobe para 39 o número de mortes violentas este ano em Florianópolis.

 

Publicidade

1 Comentário

Publicidade
Publicidade