Publicidade
Segunda-Feira, 11 de Dezembro de 2017
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 19º C

A economista Janine Alves traz os principais fatos da economia de Santa Catarina e do país com uma leitura descomplicada e acessível, evitando o “economês” e buscando sempre traduzir os assuntos mais importantes da área para os leitores do ND. 

  • Comércio ilegal: primeira operação de combate a pirataria aconteceu hoje (11) na Capital

    Comércio ilegal:  primeira operação de combate a pirataria aconteceu hoje na Capital - Divulgação
    Comércio ilegal: primeira operação de combate a pirataria aconteceu hoje na Capital - Divulgação

    O Conselho Municipal de Combate à Pirataria promoveu nesta segunda-feira (11), às 7h, a primeira operação do grupo para combater o comércio ilegal. A ação foi deflagrada no Centro da Capital, com agentes do poder público, secretarias de Segurança, Serviços Públicos, Defesa do Consumidor, Assistência Social, bem como as Polícias Civil e Militar, Guarda Municipal. A ação será realizada durante a semana no centro e expandir para os balneários da Capital. A CDL de Florianópolis é uma das entidades representativas no Conselho e atuante no combate ao comércio ilegal na cidade. De acordo com Lidomar Bison, o intuito da operação é coibir a comercialização e a ocupação dos espaços públicos, além de identificar os fornecedores. “A estratégia é chegar cedo para evitar o enfretamento com os ambulantes irregulares e no segundo momento, impedir que eles[...]

    Leia mais
  • ENGIE é habilitada para atuar como comercializadora varejista

    Diretor-Presidente da Engie Energia Brasil, Eduardo Sattamini - Duda Hamilton
    Diretor-Presidente da Engie Energia Brasil, Eduardo Sattamini - Duda Hamilton


    Em decisão divulgada esta semana, a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) aprovou a atuação da ENGIE como comercializadora varejista. O objetivo principal do comercializador varejista é representar os consumidores de menor porte, as redes de varejo e as usinas que negociam ou desejam negociar energia no mercado livre. Isto simplifica os processos de contabilização, aporte de garantias, liquidação e outros relacionados com a CCEE. A ENGIE foi a sexta empresa habilitada para atuar como varejista. Outras dez estão em processo de habilitação. 

     “Nosso objetivo para 2018 é realizar um crescimento gradual da oferta de produtos e serviços na área, com a visão de adequar a estrutura para acompanhar a expansão do mercado livre”, disse o diretor-presidente da ENGIE Brasil Energia, Eduardo Sattamini. “Somos a maior geradora de energia do País e estamos nos[...]

    Leia mais
  • Cidades Sustentáveis debate modelo sueco que poderá ser implantado em Sc

    Cidades Sustentáveis - Divulgação
    Cidades Sustentáveis - Divulgação


    Nos dia 11 e 12 de dezembro ocorrerá em Florianópolis, o evento "Cidade Sustentáveis", focado nas áreas de planejamento e sustentabilidade. O encontro é um dos desdobramentos da Missão Suécia, organizado pelo CRA-SC,  ocorrida em maio deste ano, onde uma carta de intenções foi assinada para promover o intercâmbio de experiências e implantar um projeto piloto de reciclagem semelhante ao da cidade de Borås, em um município de SC. 
    Conferencistas suecos com grande experiência em sustentabilidade estarão na sede do CREA-SC, para debater o tema com a sociedade catarinense. Estão confirmadas as presenças de Jessica Magnusson, CEO da Borås Waste Recovery (Estação Reciclagem Lixo) e de Hans Bjork, diretor e coordenador do Centro Sueco de Reciclagem de Resíduos e Recuperação de Recursos da Universidade de Borås, desenvolve projetos de Gestão Sustentável de Resíduos, lixo zero e energia sustentável.
    A[...]
    Leia mais
  • Cultura de doação: Parte do Imposto de renda pode ser destinado para projetos sociais

    Já pensou em poder ajudar o projeto da sua comunidade, escolhendo o destino de parte dos impostos que pagamos? Isto é possível e está ao alcance de todos, e o melhor: não custa nada. Pessoas físicas e empresas, ao optarem pela declaração completa, podem realizar doações, até dia 30 de dezembro, para projetos sociais e receber abatimento fiscal. Ou seja, ao invés de pagar 100% de seus impostos para o governo, podem direcionar parte dos valores para ações sociais de sua escolha.

    Existem mecanismos de renúncia fiscal que facilitam esse tipo de doação no Brasil. Temos uma renúncia fiscal de R$ 3,9 bilhões anualmente para projetos sociais, concedida pelo Governo Federal para que a população possa escolher o direcionamento desses recursos. Porém, conseguimos utilizar apenas 60% desse montante. O restante, cerca de R$ 1,5 bilhões não conseguimos captar. São cerca de 10.000 projetos por ano, que deixam de acontecer porque não têm recursos.

    “São projetos[...]

    Leia mais
Publicidade
Publicidade