Publicidade
Sábado, 16 de Fevereiro de 2019
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 22º C

Comportamento, políticas públicas, tendências e inovação. Uma coluna sobre fatos e personagens da cidade e da região

  • MP-SC indica Affonso Ghizzo para concorrer a uma vaga no Conselho Nacional de Justiça

    O promotor de Justiça Affonso Ghizzo Neto foi escolhido nesta sexta-feira (15) como representante do Ministério Público de Santa Catarina na disputa pela vaga única dos MPs estaduais no CNJ (Conselho Nacional de Justiça). Idealizador da campanha “O que você tem a ver com a corrupção?”, há 15 anos, Ghizzo recebeu 373 votos dos promotores e procuradores catarinenses. Caberá à procuradora-geral da República, Raquel Dodge, a escolha de um nome entre os 27 indicados de todo o país.

  • Proposta do pacote anticrime de Sérgio Moro provoca discussão no meio jurídico

    Incluída no pacote anticrime de Sérgio Moro, a possibilidade de acordos em caso de confissão tem gerado muita discussão no meio jurídico. Inspirada no plea bargain americano, o acordo paralisa o processo em troca de uma pena mais branda, com a diminuição das ações judiciais. “Em tese, a proposta é excelente”, diz o advogado Álvaro Gubert, que advoga em Florianópolis e atua como consultor na Flórida.

    “O problema é que nos EUA muitas pessoas, principalmente as menos instruídas, com medo de uma injustiça futura, acabam confessando crimes que não cometeram. Por isso, é necessário pensar em mecanismos que evitem este tipo de coisa no Brasil”, argumenta.

  • Marcada reunião para escolha de presidente e relator de CPI do Transporte de Florianópolis

    Os integrantes da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) do transporte público da Câmara de Florianópolis fazem nesta segunda-feira (18) a primeira reunião de trabalho. Serão escolhidos o presidente e o relator.  Fazem parte da comissão os vereadores Afrânio Boppré (PSOL), Claudinei Marques (PRB), Guilherme Pereira (MDB), Lino Peres (PT) e Renato Geske (PR). 

    A CPI vai tratar dos estudos que fundamentaram a implementação do terminal de integração do centro (Ticen), possíveis irregularidades no processo licitatório da concessão dos serviços e ainda a não utilização dos terminais de integração do Continente e do Saco dos Limões.

  • Aeroporto de Florianópolis: descompasso entre o público e o privado no Brasil

    Na prática, a prorrogação da data de inauguração do novo Aeroporto Internacional Hercílio Luz de agosto para outubro pretende dar mais tempo para o Estado concluir a via de acesso ao terminal. Trocando em miúdos, a mudança de cronograma é resultado do descaso com que essa obra de infraestrutura – essencial não só para Florianópolis como para o Estado – tem sido tratada pelo poder público nos últimos anos. Nesse caso específico, fica ainda mais flagrante e evidente o descompasso entre a eficiência da iniciativa privada suíça e a incompetência estatal brasileira. Enquanto a obra pública patina, o terminal está 60% pronto.