Publicidade
Domingo, 16 de Dezembro de 2018
Descrição do tempo
  • 31º C
  • 23º C
  • Foragido da Colônia Penal Agrícola é recapturado no bairro Córrego Grande em Florianópolis

    A comunidade do Córrego Grande, em Florianópolis, ficou aliviada quando a Polícia Militar foi ao bairro recapturar  o foragido da Colônia Penal Agrícola de Palhoça, Dimenor.  Ele tem 20 anos e ganhou este apelido na adolescência, quando começou a ser envolver com o tráfico de drogas nas imediações do Poção. Como traficante ali não se cria, os moradores logo avisaram a polícia e o rapaz ganhou sua primeira cadeia após completar 18 anos. Foi condenado e dois anos depois fugiu do xilindró. Dimenor passou a ser um persona non grata na comunidade e foi retirado de circulação mais uma vez, retornando  para a cadeia, na Capital.

  • Guarnição do Choque recaptura em Palhoça foragido do sistema prisional

    Uma guarnição da viatura do Choque estava em patrulhamento no Bairro Caminho Novo, em Palhoça, domingo à tarde (14), quando avistou um homem que correu para um matagal. Os policiais foram para cima e detiveram o suspeito. Ao verificar o nome dele no sistema, os agentes constataram que se tratava de Euriques, foragido do complexo penitenciário da Capital. O preso foi entregue na unidade prisional.

  • Casal de traficantes que agia no Norte da Ilha é capturado na Praia do Santinho

    Além de armas e drogas, suspeitos tinha mais de R$ 5 mil - Divulgação/ND
    Além de armas e drogas, suspeitos tinha mais de R$ 5 mil - Divulgação/ND



    Um casal de traficantes que agia no Norte da Ilha foi capturado por policiais militares, em rondas de rotina, na Praia do Santinho. Os suspeitos trafegavam de carro e ao sentiram que seriam abordados, o passageiro começou a dispensar drogas pela janela do Renault Megane, mas pouco adiantou. Com eles, foram apreendidas porções de maconha, cocaína, ecstasy, armas, munição, celulares balança e mais de R$ 5 mil. Segundo a polícia, o dinheiro teria sido adquirido com o tráfico de drogas. O casal foi autuado por tráfico na Central de Plantão Policial da Agronômica, na Capital.

  • Violência contra a mulher em Santa Catarina está acima da média nacional

     A violência doméstica contra a mulher em Santa Catarina não para de produzir números impressionantes: 23 assassinatos nos últimos sete meses e 92 tentativas de homicídio. Centenas de ocorrências de ameaça, lesão corporal, injúria, calúnia, difamação e dano são registradas todos os dias nas delegacias. Conforme dados da Secretaria de Segurança Pública, divulgados no site do Tribunal de Justiça, nove mulheres são estupradas diariamente no Estado, um número acima da média nacional.

    Na Justiça catarinense, há 41.743 processos em andamento envolvendo violência doméstica contra a mulher. Em número, essas ações só perdem para as relacionadas ao tráfico de drogas. Há também 47 casos enquadrados no crime de feminicídio, expressão utilizada para denominar assassinatos de mulher em razão do gênero, em vigor desde 2015. 

    Leia mais