Publicidade
Segunda-Feira, 22 de Outubro de 2018
Descrição do tempo
  • 24º C
  • 17º C

Leandro Mazzini é jornalista, escritor e pós-graduado em Ciência Política pela UnB. Iniciou carreira em 1994, e passou pelo Jornal do Brasil, Gazeta Mercantil, Correio do Brasil, Agência Rio entre outros. O blog é editado por Mazzini com colaboração de Walmor Parente e equipe de Brasília, Recife e São Paulo.

  • Denúncias contra empresas aumentam 1500% na eleição

    As denúncias contra empresas acusadas de coagirem funcionários a votarem em candidatos cresceram, até agora, 1.500% em relação ao pleito de 2014. É o que revela o mais recente balanço do Ministério Público do Trabalho ao qual a Coluna teve acesso. São 155 denúncias que versam sobre constrangimento, humilhação e ameaças veladas de perda de emprego. Em 2014, foram registradas apenas 10 denúncias. O MPT informa que 55 empresas já foram identificadas como autoras do crime eleitoral. Algumas foram denunciadas mais de uma vez, como é o caso da Havan, de Santa Catarina.

    Ranking  

    Santa Catarina lidera o ranking de denúncias (64), seguida pelo Rio Grande do Sul, com 32; Paraná (24), São Paulo (12), DF e Tocantins (10) e Pernambuco (2). 

    Inquérito

    O MPT esclarece que, de forma geral, o procedimento adotado é a análise das denúncias por um procurador ou por um grupo de procuradores, que decidem por abertura ou não de inquérito: “A partir dos resultados do[...]

    Leia mais
  • Equipe econômica de Bolsonaro diverge sobre o teto de gastos

    A equipe econômica da campanha do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) mantém-se em divergência quando o assunto é o teto de gastos públicos, instituído em 2016 pela Emenda 95. Uma ala, comandada pelo próprio deputado e pelo guru econômico Paulo Guedes, defende a manutenção das regras que congelou os gastos por 20 anos. Outra, respaldada por estudos que mostram que a medida - a longo prazo - pode comprometer investimentos, prega discretamente a flexibilização do teto já a partir do primeiro semestre de 2019.

    Letargia 

    Na Câmara, Jair Bolsonaro votou a favor PEC 241, que congelou as despesas públicas. À época, justificou que apoiou a proposta de Temer para o Brasil sair do “estado de letargia”, causado, segundo ele, pelos governos do PT.

    Gestão pública

    Já Fernando Haddad mantém o discurso de que, se eleito, irá revogar o teto de gastos pois, na avaliação do PT, “a medida inviabiliza a gestão pública”.

    Ao ataque

    Em meio à frustração de[...]

    Leia mais
  • Concessões de aeroportos viram desafios para próximo Governo

    O Governo não sabe o que será dos nove aeroportos que estão na fila para concessão, vença Haddad ou Bolsonaro a eleição. Todos eles são ‘filé mignon’ do setor, e superavitários. O aeroporto de Vitória, na lista, é considerado por funcionários da Infraero um ‘crime de lesa-pátria’ porque acaba de ser construído. Está novinho e será ‘dado’. Partido que controla a Infraero, o PR, de Valdemar da Costa Neto, não deixou o Governo conceder os aeroportos de Congonhas (SP) e Santos Dumont (RJ), os mais lucrativos do País. Não se sabe o porquê.

    Agenda

    Está na agenda. O presidente Temer vai chamar o presidente eleito após o dia 10 de novembro para começar a discutir a transição e para falar da Reforma da Previdência.

    Grão$

    A Conab estima que a safra 2018/19 deve chegar a 238,5 milhões de toneladas, com uma variação entre 2,5 e 4,7% a mais do que a safra passada.

    Quem manda

    Os ministros do STF soltam bandidos políticos da cadeia e provocam a[...]

    Leia mais
  • PDT pode expulsar candidatos ao Governo que apoiarem Bolsonaro

    O PDT vive um incêndio interno. Pelo menos 15 membros do Diretório Nacional enviaram carta à Comissão de Ética do partido pedindo a expulsão de candidatos ao Governo que vão disputar o 2º turno, por apoiarem Jair Bolsonaro (PSL) para presidente: Amazonino Mendes (AM), Carlos Eduardo Alves (RN), e o juiz Odilon (MS). Presidente do PDT, Carlos Lupi está numa sinuca de bico. De um lado a coerência ideológica e o ‘apoio crítico’ declarado a Fernando Haddad (PT); e de outro a possibilidade de o partido obter vitórias em dois Estados (AM e RN), traindo o PT.

    MDB da Cela

    O ex-governador Andre Puccinelli, do Mato Grosso do Sul, articula de dentro da cadeia. Ele determinou o apoio do MDB ao PDT do juiz Odilon no 2º turno.

    Turma da antiga

    Brizolistas históricos como Wendel Pinheiro, Júlio Rocha, Lauri Bernardes, entre outros, dizem que Amazonino boicotou a campanha do presidenciável Ciro Gomes.

    Mãos dadas

    Carlos Lupi anuncia hoje o apoio oficial do PDT a Eduardo[...]

    Leia mais